Entenda as condições e restrições de crédito na Caixa Econômica Federal

img

Condições para requerer um financiamento pela Caixa Econômica Federal 

A Caixa Econômica tem várias linhas de financiamento, é preciso ver em qual delas você se encaixa – em relação à renda, à condição de correntista ou quotista da Caixa, etc. No entanto, algumas condições são comuns a todos elas.

É preciso ser maior de 18 anos ou ser emancipado com 16 anos completos; ser brasileiro ou ter visto permanente no país; possuir capacidade civil e de pagamento. É justamente em relação a este último item que muitas vezes caem às restrições, que falaremos mais adiante, e para o qual são pedidos diversos documentos de comprovação de renda.

Os documentos necessários para aprovação do cadastro e crédito são:

É importante saber também que a Caixa se faculta o direito de pedir quaisquer documentos adicionais que julgar necessário para a avaliação da situação cadastral do seu cliente.

Imóvel precisa passar por uma avaliação

A Caixa faz uma avaliação do imóvel através de seus engenheiros credenciados, que observarão, também, se o valor do mesmo corresponde ao valor declarado para o financiamento. Além disso, toda a documentação do imóvel será ser avaliada e a própria CEF indicará a melhor faixa de financiamento e a necessidade de apresentação de novos documentos, se houver. Depois de tudo entregue e validado, é a hora da assinatura do contrato.

Dica

Lembre-se, no entanto, que no site da CEF é possível fazer uma simulação de financiamento, o que pode ajudar bastante a você decidir pela compra do imóvel. Nesta hora, te ajudamos a escolher as melhores opções, que partem de 10% de entrada com 90% de financiamento e 35 anos para pagar, de acordo com a capacidade dele de entrada e comprometimento da renda.

 

Atenção às possíveis restrições

O nome negativado é a maior causa de negativa do financiamento pela CEF. A análise feita pela Caixa, neste caso, é bem ampla e inclui principalmente Serasa, SPC e similares (inadimplência junto ao comércio e serviços); Banco Central (pela emissão de cheques sem fundo); restrições e pendências na Receita Federal e no INSS (falta de entrega de declaração de IR, problemas cadastrais de CPF, inscrição na dívida ativa etc.); entre outros.

Dica

Se houver algum problema de restrição orientamos a descobrir qual a empresa que a originou e resolver a situação. No caso do comércio, ele deve quitar a dívida, no Banco Central, pagar e pegar o cheque que motivou a inclusão do seu nome no cadastro e levá-lo até o banco para retirar o nome, e na Receita e no INSS, será preciso que ele procure uma agência para fazer a correção. Em relação à Justiça do Trabalho, oriente-o a fazer uma consulta no site do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e a procurar um advogado para auxiliá-lo.

 

Usando o FGTS para dar a entrada no financiamento da Caixa

Você sabe, é claro, que o FGTS pode ser utilizado para o pagamento da casa própria, mas preste atenção nas regras.

O FGTS pode ser usado ma seguintes situações: para compra, construção, amortização ou quitação do saldo devedor.

No caso da compra, que é o que interessa aqui, o FGTS pode ser usado para reduzir em até 80% o valor das prestações em até 12 parcelas consecutivas – desde que o contrato tenha sido assinado pelo Sistema Financeiro de Habitação.

O primeiro passo é consultar o saldo da conta de FGTS e juntar a documentação necessária, que é o documento oficial de identificação; extrato da conta vinculada ao FGTS; carteira de trabalho para comprovação do tempo de trabalho sob o regime de FGTS ou declaração do órgão gestor da mão de obra ou do sindicato em caso de trabalhador avulso; e declaração de Imposto de Renda.

Dica

Há várias regras bem específicas do próprio Fundo que são interessantes você, cujas respostas você encontra no site do próprio FGTS.

Quer saber mais sobre regras de financiamento? Deixe aqui a sua dúvida e em breve nós responderemos ou ente em contato conosco.

www.imoveisdoca.com.br

Fonte: TecImob

Condições para requerer um financiamento pela Caixa Econômica Federal 

A Caixa Econômica tem várias linhas de financiamento, é preciso ver em qual delas você se encaixa – em relação à renda, à condição de correntista ou quotista da Caixa, etc. No entanto, algumas condições são comuns a todos elas.

É preciso ser maior de 18 anos ou ser emancipado com 16 anos completos; ser brasileiro ou ter visto permanente no país; possuir capacidade civil e de pagamento. É justamente em relação a este último item que muitas vezes caem às restrições, que falaremos mais adiante, e para o qual são pedidos diversos documentos de comprovação de renda.

Os documentos necessários para aprovação do cadastro e crédito são:

É importante saber também que a Caixa se faculta o direito de pedir quaisquer documentos adicionais que julgar necessário para a avaliação da situação cadastral do seu cliente.

Imóvel precisa passar por uma avaliação

A Caixa faz uma avaliação do imóvel através de seus engenheiros credenciados, que observarão, também, se o valor do mesmo corresponde ao valor declarado para o financiamento. Além disso, toda a documentação do imóvel será ser avaliada e a própria CEF indicará a melhor faixa de financiamento e a necessidade de apresentação de novos documentos, se houver. Depois de tudo entregue e validado, é a hora da assinatura do contrato.

Dica

Lembre-se, no entanto, que no site da CEF é possível fazer uma simulação de financiamento, o que pode ajudar bastante a você decidir pela compra do imóvel. Nesta hora, te ajudamos a escolher as melhores opções, que partem de 10% de entrada com 90% de financiamento e 35 anos para pagar, de acordo com a capacidade dele de entrada e comprometimento da renda.

 

Atenção às possíveis restrições

O nome negativado é a maior causa de negativa do financiamento pela CEF. A análise feita pela Caixa, neste caso, é bem ampla e inclui principalmente Serasa, SPC e similares (inadimplência junto ao comércio e serviços); Banco Central (pela emissão de cheques sem fundo); restrições e pendências na Receita Federal e no INSS (falta de entrega de declaração de IR, problemas cadastrais de CPF, inscrição na dívida ativa etc.); entre outros.

Dica

Se houver algum problema de restrição orientamos a descobrir qual a empresa que a originou e resolver a situação. No caso do comércio, ele deve quitar a dívida, no Banco Central, pagar e pegar o cheque que motivou a inclusão do seu nome no cadastro e levá-lo até o banco para retirar o nome, e na Receita e no INSS, será preciso que ele procure uma agência para fazer a correção. Em relação à Justiça do Trabalho, oriente-o a fazer uma consulta no site do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e a procurar um advogado para auxiliá-lo.

 

Usando o FGTS para dar a entrada no financiamento da Caixa

Você sabe, é claro, que o FGTS pode ser utilizado para o pagamento da casa própria, mas preste atenção nas regras.

O FGTS pode ser usado ma seguintes situações: para compra, construção, amortização ou quitação do saldo devedor.

No caso da compra, que é o que interessa aqui, o FGTS pode ser usado para reduzir em até 80% o valor das prestações em até 12 parcelas consecutivas – desde que o contrato tenha sido assinado pelo Sistema Financeiro de Habitação.

O primeiro passo é consultar o saldo da conta de FGTS e juntar a documentação necessária, que é o documento oficial de identificação; extrato da conta vinculada ao FGTS; carteira de trabalho para comprovação do tempo de trabalho sob o regime de FGTS ou declaração do órgão gestor da mão de obra ou do sindicato em caso de trabalhador avulso; e declaração de Imposto de Renda.

Dica

Há várias regras bem específicas do próprio Fundo que são interessantes você, cujas respostas você encontra no site do próprio FGTS.

Quer saber mais sobre regras de financiamento? Deixe aqui a sua dúvida e em breve nós responderemos ou ente em contato conosco.

www.imoveisdoca.com.br

Fonte: TecImob